terça-feira, setembro 17, 2019
Principal Arquivos 2019 fevereiro 28

Arquivos diariosfev 28, 2019

1240

 

 

 

Os pobres não irão conseguir se aposentar, mas irão ajudar a sustentar os privilégios dos ricos *José Álvaro de Lima Cardoso Como o projeto de contrarreforma da previdência vai contra os interesses de 99% da população, mesmo o governo tendo a maioria do Congresso, para ter chance de aprovar a PEC, o governo terá que mentir muito (como já está fazendo). Vimos isso quando tentaram aprovar a PEC da previdência no governo Temer. Aumentavam as despesas artificialmente, superestimam a população de idosos e diminuíam artificialmente a população de jovens, distorcendo os indicadores do mercado de trabalho. Mentiam e mentem muito, especialmente sobre o “déficit da previdência”, escondendo o fato de que a Previdência Social faz parte da Seguridade Social, que historicamente é superavitária no Brasil. Quando o governo Bolsonaro divulga que o “déficit” da previdência em 2018 foi de R$ 290 bilhões está comparando apenas a receita da folha de pagamentos (30%) com o total de despesas da previdência social. Esta não é a conta Constitucional, e sim a conta enganosa dos banqueiros, para quem Paulo Guedes trabalha. Entre 2000 e 2015 a Seguridade Social teve superávit acumulado de R$ 3,5 trilhões, segundo a CPI da previdência feita pelo Senado Federal em 2018. A previdência social, que faz parte da Seguridade Social, não foi pensada para ser mantida apenas pela folha de pagamento. O artigo 195 da Constituição, define que o financiamento da Seguridade Social será feito pela a) contribuição de trabalhadores e empregadores na folha de pagamento; b) pelas empresas com o lucro (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido); c) contribuição sobre o consumo; d) Cofins (contribuição para o financiamento da seguridade social), e) Pis-Pasep; f) arrecadação sobre a venda de produtos rurais; g) arrecadação sobre todas as importações; h) e várias outras fontes menores como as loterias da Caixa. A proposta de contrarreforma da previdência do governo pretende impedir que recursos como estes, vindos de impostos, financiem a previdência, ou seja, querem inviabilizar a Previdência Pública, retirando as fontes de receita previstas na Constituição Federal. A Previdência gasta cerca de 8% do PIB e é fundamental para cerca de 100 milhões de brasileiros, direta ou indiretamente. As despesas com juros da dívida pública 2 consomem todo ano cerca de 7% do PIB, para garantir a riqueza de cerca de 200 mil rentistas, muitos inclusive que nem moram no Brasil. No Brasil, a estrutura tributária é regressiva, os mais pobres pagam proporcionalmente mais impostos. Taxas sobre grandes fortunas, patrimônio e herança são baixas, os ricos pagam pouco imposto, o Brasil é um paraíso para quem ganha muito dinheiro. A previdência social ameniza um pouco isso, impede que a renda seja ainda mais concentrada, podendo ser considerada a melhor ferramenta de distribuição de renda. E eles querem destruir essa ferramenta. Paulo Guedes fala em economizar um trilhão de reais, com a contrarreforma, em um prazo de dez anos. Estes valores certamente serão economizados com base no achatamento do valor das aposentadorias e pensões dos mais pobres. Há mais de 20 anos, sob pretexto de realizar superávit primário, são transferidas verdadeiras fortunas, retirando receitas da educação, saúde, assistência social, para pagar juros da dívida pública. Nesse período os especialistas calculam que foram transferidos cerca de 5 trilhões do orçamento da União para o pagamento dos juros da dívida. Evidente que a PEC da Previdência não trata disso, porque a proposta é a dos banqueiros, que são os grandes beneficiários do chamado Sistema da Dívida Pública. Enquanto o “déficit” da Previdência Social está orçado para 2019 em R$ 218 bilhões no Regime Geral e R$ 44 bilhões para o Regime Próprio de Previdência dos Servidores da União, calcula-se para o mesmo ano R$ 666,2 bilhões em pagamento de juros e amortização da dívida pública federal. São 2,5 vezes o valor do “déficit” somado dos Regimes da Previdência citados e mais R$ 758,7 bilhões (quase o triplo do “déficit” dos Regimes de Previdência) para rolagem da dívida. Este é a verdadeira causa do déficit público no Brasil. Em função da alta rotatividade do mercado de trabalho, cada trabalhador conseguiu fazer 9,1 contribuições previdenciárias em 2014, segundo Nota Técnica do Dieese. Com essa taxa de 9,1 contribuições por 12 meses, o trabalhador precisaria esperar 57 anos, depois de começar a trabalhar para completar o correspondente a 40 anos de contribuições, previstos pela PEC nº 06/2019. O tempo mínimo de contribuição para poder se aposentar aumentará de 15 para 20 anos. Além disso, o cálculo do benefício será feito pela média de todas as contribuições, e não pelas 80% melhores, o que reduzirá a média. Os mais pobres, camponeses, informais, menos escolarizados, negros, mulheres, não conseguirão se aposentar. Mas vão ajudar a financiar, junto com todos os 3 setores oprimidos do Brasil, as gordas aposentadorias de juízes e militares, e os bilionários juros dos rentistas brasileiros. *Economista.

588

REGULAMENTO DO CONCURSO FOTOGRÁFICO

1 APRESENTAÇÃO

O concurso fotográfico, organizado Pelo Sindicato dos Trabalhadores nas indústrias da Construção e mobiliário de Joaçaba (Siticom) em parceria com as diversas empresas do ramo da construção.

1.1 TEMA

O concurso tem como tema “”Boas Práticas nas indústrias da construção-saúde e segurança”

2 OBJETIVO DO CONCURSO

Chamar a atenção para o nosso cotidiano, buscando imagens que retratem as boas práticas no trabalho, levando em conta a base territorial do Siticom Joaçaba, por meio de imagens de indivíduos exercendo suas atividades no trabalho onde constem situações de boas práticas em todos os sentidos de saúde e segurança seguindo a lógica da proposta e do bom senso, a interpretação dentro do tema será livre.

3 REGULAMENTO

3.1 INSCRIÇÕES

3.1.1 As inscrições serão limitadas ao número de 01 (uma) fotografia por participante, sendo a inscrição livre de qualquer custo.

3.1.2 Os menores de 18 anos deverão encaminhar autorização dos responsáveis para validar sua inscrição.

3.1.2 O período de inscrição e envio das fotos terá início no dia 22 de agosto de 2018 e término em 22 de outubro de 2018.

3.1.3 As inscrições poderão ser efetuadas no site: www.siticomjoacaba.org, mediante preenchimento da ficha de
inscrição que se encontra no site.

3.1.4 Depois de feita a inscrição no site, as fotografias deverão ser encaminhadas para o e-mail secretaria@siticomjoacaba.org devidamente identificadas. No assunto do e-mail colocar “Boas Práticas nas indústrias da construção-saúde e segurança”. No corpo do e-mail deverá constar o título de cada foto e o nome completo do fotógrafo inscrito no site e o local e data da imagem.

3.1.4.1 As fotos não precisam necessariamente ser enviadas no momento da inscrição, mas deverão ser enviadas até a meia-noite do dia 22 de outubro de 2018 para que a inscrição tenha validade.

3.1.4.2 Não serão aceitas fotos enviadas por e-mail em que o fotógrafo não tenha anteriormente preenchido a devida ficha de inscrição e não conste o título de cada foto e o nome completo do fotógrafo inscrito no site além do local e data da imagem.

3.1.4.3 Se houver divergência sobre não cumprimento do artigo anterior será aberto um prazo de 15 dias para as devidas correções.

3.1.4.3 Ao efetivar a inscrição e enviar as fotografias, seguindo todos os requisitos do presente regulamento, o autor automaticamente estará autorizando o uso das mesmas pela Siticom Joaçaba e as empresas parceiras, as quais passarão a fazer parte do Acervo Fotográfico da comissão, podendo esta utilizá-las onde achar necessário (sempre com a utilização dos créditos para o fotógrafo).

3.2 REQUISITOS PARA O CONCURSO.

3.2.1 As fotos deverão ser enviadas no formato digital, em cores, numa resolução mínima de 1600 x 1200 pixels.

3.2.2 Fica banido o uso de qualquer alteração ou recurso de tratamento ou distorção digital, sendo avaliadas apenas as fotografias que se utilizarem unicamente do domínio técnico e cognitivo do fotógrafo em relação ao tema.

3.2.3 Ficam impedidos de inscrever fotos neste concurso os participantes da comissão julgadora e organizadora do evento.

3.3 SELEÇÕES, JULGAMENTO E RESULTADO.

3.3.1 As fotografias inscritas passarão por uma pré-seleção que será realizada por uma comissão julgadora composta por uma comissão multidisciplinar.

3.3.2 Serão levados em consideração, dentro da avaliação das fotos, os critérios de originalidade em relação ao tema.

3.3.3 A comissão julgadora do concurso selecionará 10 (dez) fotos finalistas, de acordo com os seguintes critérios: ser foto da região, flagrantes do cotidiano, harmonia e originalidade e adequação com o
tema (ver item 1.1).

3.3.3.1 A comissão multidisciplinar em conjunto com o Siticom Joaçaba fará a divulgação das 10 fotografias selecionadas no dia 22 de novembro de 2018.

3.3.4 A comissão fará a divulgação das 10 finalistas por e-mail / telefone até o dia 30 de novembro de 2018.

3.3.5 5 Os autores das 10 fotos finalistas serão comunicados por e-mail/telefone sobre o local e horário da divulgação dos ganhadores. A ordem de divulgação dos finalistas não caracteriza ganhadores e será divulgado em ordem alfabética.

3.4 PREMIAÇÃO

3.4.1 Serão premiados os 3 (três) primeiros colocados com um valor de:
A) 1° colocado R$ 800,00 (Oitocentos Reais)
B) 2° colocado R$ 600,00 (Seiscentos Reais)
C) 3° Colocado R$ 400,00 (Quatrocentos Reais)

3.4.2 A entrega da premiação será feita durante a 1° Gincana saúde e segurança que ocorrerá dia 08/12/2018.

3.4.3 Os vencedores deverão estar presentes no dia do evento ou enviar um representante para o recebimento da premiação.

3.4.3.1 O representante deverá apresentar uma procuração simples de sua indicação para recebimento do prêmio.

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

4.1 TERMO DE RESPONSABILIDADE

4.1.1 Ao confirmar a inscrição, o participante estará concordando em liberar o direito de uso das imagens (tanto sua como de suas fotografias) para exposição, divulgações, releases, etc, e compromete-se a não fazer uso das imagens para outro fim que não o de participar deste concurso, sob pena de responsabilidade por uso indevido.

4.1.2 Aos promotores do concurso não caberá nenhuma responsabilidade por fotografias extraviadas, danificadas ou por qualquer outro motivo que impeça a participação do candidato.

4.1.3 O ato de inscrição neste concurso implica na aceitação deste Regulamento e na observância de todas as orientações nele contidas. Qualquer infração a este Regulamento invalidará a inscrição.

4.1.4 As pessoas e os locais de trabalho poderão ser identificados nas fotos desde que se possua autorização dos mesmos. Cabendo a responsabilidade ser exclusivamente do autor da foto.

4.1.5 A comissão organizadora do concurso deverá sanar ocorrências não previstas neste regulamento.

4.1.6 O presente regulamento poderá ser alterado e/ou o concurso suspenso ou cancelado, sem aviso prévio, por motivo de força maior ou por conveniência administrativa, sem direito a qualquer tipo de indenização aos seus participantes.
Joaçaba (SC), 22 de agosto de 2018

549

Os atos do 1º de Maio deste ano ocorrem em uma conjuntura singular, poucos meses depois de entrar em vigor a reforma trabalhista imposta pelo governo Temer. Em todo o País, os trabalhadores levarão às ruas e praças as bandeiras da democracia, do respeito aos direitos e da proteção dos empregos, dos salários e das aposentadorias.

Uma das principais atividades será o ato unificado, que as maiores Centrais Sindicais realizarão durante a tarde em Curitiba, capital paranaense. Pela primeira vez, desde a redemocratização, CUT, Força Sindical, CTB, Nova Central, UGT, Intersindical e CSB estarão juntas na celebração do Dia do Trabalhador. O evento, que terá ainda o caráter de solidariedade ao ex-presidente Lula, receberá o reforço de lideranças dos movimentos sociais.

Nos Estados – Como é tradicional, estão programadas manifestações nas Capitais e maiores cidades do País. Em todas elas, o movimento sindical defenderá pautas comuns, de interesse da classe trabalhadora, como uma política econômica de geração de empregos e renda, seguridade e previdência social, o fim da lei do congelamento de gastos, a continuidade do financiamento sindical e, também, a revogação da reforma trabalhista.

São Paulo – Os maiores ato ocorrem na capital paulista. O Dia Internacional do Trabalho organizado pela Força Sindical ocorre, mais uma vez, na Praça Campo de Bagatelle. O lema de 2018 será “Emprego!Emprego!Emprego!”. Entre as 9 e 15 horas, o público presente poderá acompanhar shows de artistas populares e concorrer ao sorteio de 15 carros.

CUT, CTB, Intersindical e movimentos que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo promovem ato unificado com atrações artísticas na Praça da República, região central da cidade de São Paulo, a partir das 12 horas.

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) encerra nesta sexta (26) o Seminário 1º de Maio 2018, aberto ontem no Hotel Braston, região central da cidade, com a presença do governador de São Paulo, Márcio França.

Com o tema “A Quarta Revolução Industrial, seus Impactos no Mundo do Trabalho e a Construção de uma Nova Sociabilidade baseada na Agenda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, o evento reuniu especialistas de vários setores para debater o tema.

Brasília – A capital do País recebe na terça a 2ª Meia Maratona Nova Central (saiba mais), que comemora o 1º de Maio com atividades esportivas na Explanada dos Ministérios.

A Agência Sindical conversou com o consultor João Guilherme Vargas Neto, que sintetizou o espírito que terá o Dia do Trabalhador. “É um 1º de Maio que ocorre em um momento de forte ataque ao movimento sindical, que sofre as consequências da reforma trabalhista. As comemorações terão como eixo a resistência à lei celerada”, afirma.

João Guilherme aponta que a resistência deve ter como base a denúncia, evidenciando o clima de desconfiança e insegurança jurídica instalado pela nova lei nas relações de trabalho. “É fundamental que os trabalhadores reforcem sua plataforma de resistência à lei e a defesa da retomada do desenvolvimento com geração de emprego formal e a garantia de sustentação material das entidades”, diz. 

Fonte: Agência Sindical

506

Varias atividades acontecendo para marcar os 40 anos do Siticom Joaçaba .
A primeira foi nossa participação na tribuna da câmara de vereadores de Joaçaba . Que foi destaque : http://www.cacodarosa.com/noticia/15450/acoes-do-sindicato-da-construcao-civil-reduzem-acidentes-de-trabalho
Em menos de dois anos, Joaçaba não apenas deixou de liderar as estatísticas de mortes relacionadas a acidentes de trabalho na construção civil, como também zerou estes números. Ao utilizar da tribuna da Câmara de Vereadores de Joaçaba em sessão de terça-feira (22), Pedro Nogueira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Joaçaba disse que, em 2015, proporcionalmente ao número de habitantes, Joaçaba registrou mais mortes por acidentes de trabalho na construção civil que Joinville, a maior cidade do Estado. Naquele período, foram registradas 17 mortes.

A segunda Atividade foi a corrida do bem do SESI que contou com mais de 700 inscritos e o Siticom estava la presente .

E hoje dia 28 de Agosto acontece a palestra descomplicando as finanças na ACIOC Joaçaba as 19 horas .

414

Na tarde de ontem ocorreu a segunda rodada de negociação coletiva entre este sindicato e o sindicato Patronal na sede administrativa do siticom Joaçaba às 16:00 horas. Apesar dos esforços de ambos os lados não conseguimos avançar para fechar a negociação da CCT 2017/2018 . Houve avanços nas tratativas entre ambos os lados . Todos estão buscando uma melhor saída nesse momento de impasse. Como não chegamos a um valor e propostas suficientes para recompor as percas, decidiu-se pelo prolongamento das negociações . E este sindicato no final do dia de hoje ira protocolar o pedido de dissidio coletivo junto a justiça do trabalho. Mais como ambos os lados querem chegar a uma negociação amigável já está agenda uma nova reunião para o dia 05/05/2017 , mais ficando mantido a data base 1° de maio .

661

NO ÚLTIMO SÁBADO, DIA 25, OCORREU NO SITICOM MAIS UM TREINAMENTO SOBRE TRABALHO SEGURO EM ALTURA, NR35, DENTRO DO PROGRAMA JOAÇABA SEM MORTES, ABRANGENDO AINDA MAIS TRABALHADORES DAS OBRAS DA REGIÃO.

COM O TREINAMENTO, OS TRABALHADORES SÃO CAPACITADOS E, TAMBÉM, CONSCIENTIZADOS QUANTO À IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA EM SEUS LOCAIS DE TRABALHO, AINDA MAIS EM ATIVIDADES QUE ENVOLVEM RISCO DE QUEDA.

PARTE TEÓRICA

PRÁTICA DE NÓS PARA TRABALHO EM ALTURA

USO CORRETO DE EQUIPAMENTOS

TREINAMENTO FINALIZADO

740
Encontro foi no Ministério Público do Trabalho

Na tarde desta terça-feira (27), estiveram participando de uma reunião nas dependências do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Joaçaba, representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Joaçaba , Pedro Nogueira Junior (Presidente), Vanda Fernandes de Borba ( Tesoureira), Jeverson Meretika ( Técnico em segurança do trabalho-Siticom), Denir Narcizo Zulian ( CREA/SC), Marcos Luiz de Andrade ( AENCIMOC), Sadi Zago ( SENGE).

O encontro tem por objetivo, tratar dos passos a serem dados para a realização no mês de novembro de um Seminário em data a ser confirmada, para reduzir os números de mortes e acidentes de trabalhos na área da construção civil na região de Joaçaba.

“A conscientização é a melhor forma para diminuirmos estes números expressivos. Daí a importância de todas as pessoas envolvidas na construção civil, para participarem deste seminário. Pretendemos melhorar a situação destas pessoas que trabalham nesta área para darmos exemplo não só nesta região, mas também para todo o Estado”, argumentou Bruno Martins Mano Teixeira, procurador do Trabalho na região de Joaçaba.

O objetivo de todos os representantes das entidades que participaram da reunião é atingir a meta zero de acidentes graves de trabalho na região. Segundo os últimos dados e levantamentos, os números são expressivos e os mais altos em Santa Catarina.

“Depois de atuarmos e buscarmos a conscientização nas construtoras maiores, vamos agora manter contato com as de médio e pequeno porte, além das informais. Por isso a participação importante de todos nesta reunião, haja vista nossa dificuldade em conseguir levar as informações as construtoras menores”, salientou o procurador.

Na semana que passou, foi assinado um Termo de Adesão ao Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, por parte dos representantes do Siticom. Na oportunidade, o presidente do Sindicato, Pedro Nogueira Junior, apresentou o programa Joaçaba e região sem mortes no trabalho, como plano de ação que já vem sendo adotado no sentido de reduzir a quantidade de acidentes na construção civil da região.

Por Julnei Bruno

Fonte: Site Rádio Catarinense. http://www.radiocatarinense.com.br/index.php/2016/09/27/siticom-de-joacaba-organiza-seminario-para-reduzir-o-numero-de-acidentes-na-construcao-civil/

Fonte : Siticom

626

Essa semana foi de fiscalização nas obras de Joaçaba e Herval D’Oeste, após visitas em vários canteiros percebemos que somente o dialogo não resultaria em melhoria na vida dos trabalhadores.

Desta forma o sindicato tomou várias providências , entre elas protocolando algumas denuncias junto ao ministério público do trabalho e também junto ao ministério do trabalho .

Dentre as denúncias protocoladas foram: Falta de registro, não pagamento de direitos trabalhistas  e falta de IPEi’s .

Em uma obra específica os trabalhos foram paralisados e os trabalhadores dispensados, retornando  à suas casas sem prejuízo.Os trabalhadores só irão retornar ao trabalho quando a empresa providenciar os equipamentos de proteção individual .resmini1

resmini                                                      resmine3

 

STICM CONECTADO!